Tradutor do Blog

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

FAMÍLIA: 'TUDO TEM O SEU TEMPO'




O mundo moderno está acostumado com a rapidez da troca de informações na internet. Com a globalização, o planeta ficou menor, e tudo acontece instantaneamente. ninguém pode perder tempo, afinal, estamos na era do fast-food e queremos tudo "para ontem". É comum encontrarmos pessoas reclamando, nas filas do supermercados ou dos bancos, por qualquer motivo. Não se tem mais paciência.

No passado, era preciso ir ao campo colher o alimento, caçar ou pescar para comer. Parece que estamos mal - acostumados com o imediatismo da modernidade e levamos isso para todas as áreas da vida. Entretanto, há coisas que nos obrigam a respeitar o curso  natural dos acontecimentos. Por exemplo: a mulher que acabou de descobrir que está grávida. Que alegria! Porém, ela terá de esperar nove meses de gestação para ter o prazer de acalentar seu bebê. Isso porque um parto prematuro representa riscos à saúde da mãe e da criança. Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu (Ec 3.1).

Da mesma forma, existem atitudes que não podem ser tomadas precipitadamente. É o caso do início do namoro. Devemos examinar bem se aquela é a pessoa ideal para nos casarmos. Se tomarmos uma decisão com pressa, poderemos sair machucados ou ferir alguém, que também lamentará o erro cometido.

Pela eternidade - Quando pulamos as etapas da vida, as consequências são desagradáveis.Namoro é uma fase de conhecimento, mas com limites que não podem ser ultrapassados. Quando essas barreiras não são respeitadas, além do risco da gravidez, um laço "de alma" se forma entre duas pessoas, o que deveria ocorrer apenas no matrimônio. Se eles se casarem de acordo com o padrão estabelecido por Deus, a vida íntima de ambos geraria aproximação, satisfação, alegira e amor. Por outro lado, fora desse padrão, o pecado traz dor, tristeza e culpa. Portanto, vale a pena esperar! Há um livro muito bom sobre esse assunto: Até quando esperar?, escrito por Shelia Cooley (Graça Editorial).

Certa vez, ouvi uma especialista em Psicomotricidade, que faz um trabalho de auxílio a crianças com dificuldade de aprendizagem, dizer que o bebê precisa de engatinhar primeiro para, depois, andar. Segundo ela, pular essa fase levará o pequeno apresentar problemas de aprendizagem no futuro. Assim, vemos que, de fato, tudo tem seu tempo, como diz Salomão. Há tempo para nascer, crescer, estudar, namorar, constituir família e tudo mais. Quando essas fases e etapas não são respeitadas, há consequências, as quais, por vezes, repercutirão por toda a vida.

Os limites estabelecidos por Deus são para nosso bem. Por isso, devemos respeitá-los. A obediência à Palavra de Deus nos leva a um amanhã de que nos orgulharemos, não por termos cedido aos impulsos da carne, mas por preferirmos ser amigos do Senhor: Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu mando (Jo 15.14).

A melhor maneira de nos mantermos em Cristo é meditar na Escrituras, pois, por ela, somos santificados. Esse conhecimento do Senhor nos garante o discernimento necessário para fazermos as escolhas certas no momento certo. Assim também ficar a alma sem conhecimento não é bom; e o que se apressa com seus pés peca (Pv 19.2).





Pr. Rogério Postigo é advogado e líder estadual da Igreja Internacional da Graça de Deus (IIGD) no Rio de Janeiro, e tem uma coluna chamada "FAMÍLIA" na Revista Graça/Show da Fé - Graça Editorial.





***
(Postado por: MARCOS MARCELINO)










Fonte:



Nenhum comentário:

Postar um comentário