Tradutor do Blog

segunda-feira, 2 de junho de 2014

PERCORRENDO OS SALMOS: 'ORAÇÕES QUE NÃO DEVEMOS FAZER'



Cedo, porém, se esqueceram das suas obras; não esperaram o seu conselho;
mas deixaram-se levar pela cobiça, no deserto, e tentaram a Deus na solidão.
E ele satisfez-lhes o desejo, mas fez definhar a sua alma.
Salmo 106.13-15

    Deus havia redimido Israel do Egito. Tinha realizado milagres tremendos a seu favor: Havia-lhes suprido em todas as suas necessidades em suas perambulações pelo deserto. Não tinham necessidade que não fosse suprida. Entretanto, Israel cometeu dois erros trágicos. O primeiro foi o esquecimento: Cedo, porém, se esqueceram das suas obras. O segundo foi a impaciência: Não esperaram o seu conselho.

    O alimento que o Todo-Poderoso providenciou para Israel foi o maná - o pão do céu (Sl 105.40) - que supria plenamente toda a sua necessidade de nutrição. As pessoas, entretanto, desprezaram essa provisão sobrenatural. Cedendo a um apetite desenfreado, exigiram carne em seu lugar.

    Como resposta, Deus mandou cordonizes ao arraial, até que o povo se achasse com cordonizes até os joelhos. Então, o povo começou a se alimentar das cordonizes e, em função disso, muitos foram afligidos com enfermidade e morreram. Sobre isso, o salmista comenta: E ele satisfez-lhes o desejo, mas fez definhar a sua alma.

    Precisamos aprender com os erros de Israel e nos guardar do esquecimento e da impaciência . Nós, também, tendemos a desprezar a provisão do Senhor e achar que sabemos mais a Ele a respeito do que necessitamos. Então, começamos a pedir a Deus em oração para que realize todos os nossos desejos. Quando isso acontece, a pior coisa que o Pai pode fazer por nós é conceder o nosso pedido. Porque, se agir assim, "fará definhar a nossa alma".


RESPOSTA DE FÉ

Que eu nunca peça a Deus algo que, se concedido, fará definhar a minha alma.


***
(Postado por: MARCOS MARCELINO)










"Texto copiado do livro de Derek Prince *Percorrendo os Salmos" (Graça Editorial)



Nenhum comentário:

Postar um comentário