Tradutor do Blog

domingo, 8 de setembro de 2013

FAMÍLIA: MANDA PEDRAS, SENHOR!


Por: Pr. Rogério Postigo 


Ao ler a Palavra de Deus, confesso que alguns textos me deixam intrigado, como os capítulos 9 e 10 de Josué, por exemplo. Neles, a Bíblia afirma que Josué vinha conquistando muitas terras e sua fama já havia chegado à terra de Gibeão (Js 9.3-6). Os gibeonitas seriam os próximos a enfrentá-lo, porém fingiram-se de embaixadores vindos de um lugar distante e propuseram ao líder israelita uma aliança de paz, a qual Josué aceitou prontamente, sem consultar o Altíssimo.

Muitos fazem o mesmo hoje. Iniciam um namoro e até se casam sem consultar o Senhor; apenas seguem o que sentem no coração. Porém, a Palavra diz: Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá? (Jr 17.9); Guardai-vos que o vosso coração não se engane, e vos desvieis, e sirvais a outros deuses, e vos inclineis perante eles (Dt 11.16). Antes de tomar uma decisão, o cristão deve levar esses textos em consideração e observar se a Palavra está sendo desprezada de alguma maneira. Por exemplo: não é preciso perguntar ao Senhor se é da Sua vontade a união de pessoas que não professam a mesma fé, pois a Palavra já diz: Não vos prendais a um julgo desigual com os infiéis; porque que sociedade tem a justiça com a injustiça? (2 Co 6.14a).

Certa vez, durante um atendimento pastoral, uma jovem, cujo namorado não a respeitava (chegando mesmo a agredi-la), perguntou-me se deveria terminar o relacionamento. O questionamento era completamente desnecessário, porém, para ela, que estava envolvida emocionalmente na situação, parecia pertinente. Eu a orientei a terminar o namoro, pois, se chegasse ao casamento, provavelmente, as agressões iriam piorar. Os sinais muitas vezes estão debaixo do nariz, mas nem todos querem vê-los.

O problema vai além, pois, de maneira geral, as pessoas também não entendem o que é uma aliança ou as complicações que podem advir dela. Da mesma forma, não sabem que, quando duas pessoas se unem em matrimônio, o próprio Deus é testemunha desta aliança (Mt 2.14) e Se dispõe a defendê-la. Vejamos o que aconteceu no caso de Josué. Ele deveria ter destruído os gibeonitas, porém, enganado, acabou fazendo com eles uma aliança. Quando descobriu a farsa, ficou irritado e mandou que pelo resto da vida, aqueles mentirosos fossem rachadores de lenha do povo de Deus. Entretanto, quando cinco nações inimigas se levantaram contra os gibeonitas, estes trataram de pedir ajuda a Josué, o qual não pode se negar a socorrê-los, pois estavam ligados por aquela aliança.

O que me impressona é que Deus defendeu os gibeonitas nessa guerra! Lembre-se: eles seriam mortos antes de fazer aquele acordo com Josué, mas, agora, o Senhor estava lutando ao lado deles e lhes dando a vitória. Tudo por causa da aliança! E sucedeu que, fugindo eles [os exércitos das nações inimigas] diante de Israel à descida de Bete-Horom, o SENHOR lançou sobre eles, do céu, grandes pedras até Azeca, e morreram; e foram muitos mais os que morreram das pedras da saraiva do que os que os filhos de Israel mataram à espada (Js 10.11).

Se seu casamento está sendo atacado pelo inimigo, saiba que o Senhor é defensor da aliança da qual Ele foi testemunha. Não aceite a ação do ladrão em seu lar; clame ao Senhor da Guerra, e Ele enviará pedras para derrotar essa força do mal e lhe dará a vitória. Creio nesse Deus de aliança.O Senhor é por você e lutará ao lado para defender a sua aliança!


***

Pr. Rogério Postigo é advogado e líder estadual da Igreja Internacional da Graça de Deus (IIGD) no Rio de Janeiro, e tem uma coluna chamada "FAMÍLIA" na RevistaGraça/Show da Fé - Graça Editorial.





(Postado por: MARCOS MARCELINO)










Fonte: Revista Graça/Show da Fé



Nenhum comentário:

Postar um comentário