Tradutor do Blog

domingo, 7 de julho de 2013

CRISTÃOS EGÍPCIOS COMEMORAM QUEDA DE PRESIDENTE PERSEGUIDOR

Mohamed Morsi ex-presidente do Egito  tinha o apoio da 'Irmandade Muçulmana' e aterrorizava os cristãos do país 


Mohamed Morsi 
Com a queda do regime islâmico no Egito os cristãos estão tentando uma reconciliação. O golpe militar derrubou o então presidente Mohamed Morsi, despojando os islamitas do poder político.

Os  cristãos coptas comemoram o fim do regime de Morsi, mas em carta mostraram compaixão com os muçulmanos que foram derrotados pelo golpe. "Sentimos a dor dos que se consideram derrotados e que agora temem a marginalização e alienação", escreveu o arcebispo Angaelos, representante da Igreja Copta Ortodoxa do Reino Unido.

O bispo afirmou que este sentimento de derrota já foi sentido pelos cristãos egípcios por diversas vezes nos últimos séculos e que agora a população precisa se unir e pensar em um futuro diferente. 

"Precisamos agora é de encontrar uma forma de acolher estes importantes membros da comunidade, bem como todos os egípcios, confirmando que o único caminho é o da reconciliação e unidade".

Angaelos também escrevendo pedindo paz, para que cessem os conflitos entre os muçulmanos e cristãos. "Rezamos para que não se derrame mais sangue, não haja mais luto nas famílias ou comunidades, nem mais violência e que a cooperação e colaboração se tornem princípios fundamentais ao longo deste processo formativo", disse.

Antes da divulgação da carta, pelo menos uma igreja copta foi incendiada por islamitas enfurecidos. O ataque aconteceu na aldeia de Delgia que fica a 60 quilômetros de Mynia. No Egito os cristãos são minoria religiosa, tendo 10 milhões de fiéis. A quantidade de cristãos no Egito é a maior em todo o Oriente Médio. (Com informações Renascença).



Por: Leiliane Roberta Lopes


Os manifestantes que eram contra o presidente egípcio Mohamed Morsin comemoram sua queda na praça Tharir, no Cairo



***



Fonte: Gospel Prime




Nenhum comentário:

Postar um comentário