Tradutor do Blog

domingo, 14 de abril de 2013

"NÃO ACREDITO EM DEUS, MUITO MENOS EM SATANÁS"




Missionário, não acredito em Deus e, muito menos, em Satanás. No entanto, amo o próximo como a mim mesmo e auxilio qualquer pessoa que precise, independentemente de raça ou crença. Isso me ajuda crescer muito. O Senhor não acha que Deus é um ser imaginário?

                                                                                                     T.U., via internet

Fonte: Revista Graça/Show da Fé


Veja a resposta do missionário R.R.Soares

Clique nesse link abaixo:
R.:Será que Jesus Cristo, que dividiu a História e mudou os rumos do mundo inteiro, também foi uma pessoa imaginária? Milhões de indivíduos, incluindo os Seus muitos inimigos, os quais dariam tudo para provar que Ele não passava de uma fraude, também são imaginários? Todos os documentos históricos que falam dEle, grande parte produzidos por historiadores pagãos, são forjados? As milhares de igrejas e locais de cultos cristãos eram realizados - catacumbas romanas desenterradas pelos arqueólogos - são fruto de uma ilusão? Será que muitas vidas transformadas pelo poder do Cristo ressuscitado nesses mais de dois mil anos de existência da cristandade não passa de hipnose coletiva? Ora, nem mesmo os mais ardorosos opositores do cristianismo conseguem negar a existência  histórica de Jesus de Nazaré, o qual declarava claramente ser Filho do Deus vivo, Criador de todas as coisas, visíveis e invisíveis, como proclamam em alto e bom som as Escrituras Sagradas do Novo Testamento (Cl 1.16). Logo, não é possível aceitar o Jesus da História, reconhecendo que Ele foi um grande líder e um pioneiro na promoção, em larga escala, do amor entre os povos e da paz mundial, rejeitando, ao mesmo tempo, as alegações que Ele fez acerca de Sua origem e identidade. Ou Cristo era um louco mentiroso, ou foi - e é - o que declarou ser.
Como afirma a Bíblia: Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, este o fez conhecer (Jo 1.18). Disse-lhe Jesus: Estou a tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Filipe? Quem me vê a mim vê o Pai; e como dizes tu: Mostra-nos o Pai? (Jo 14.9). O qual é a imagem do Deus invisível (Cl 1.5a). A verdade é que, para conhecermos Deus, devemos olhar para o Senhor Jesus e não para o mundo decaído. Isso porque, em Cristo, veremos os sentimentos e as expectativas do Pai em relação a nós. Em outras palavras, a maior e mais devastadora prova da existência do Altíssimo é o fato de ter enviado Seu Filho para morrer em nosso lugar, a fim de vivermos eternamente com Ele na Glória (Rm 5.8-11). Contudo, não é só isso, pois a criação em si também é uma eloquente prova da existência de um Criador inteligente e amoroso. Você consegue acreditar que o extremamente complexo sistema circulatório ou o nervoso, ou uma simples rosa, para não falar no canto dos passarinhos, sejam resultado  de uma explosão de matéria incandescente? Eu não consigo, pois minha inteligência simplesmente não permite. Se você não quiser ler a Bíblia por não crer nEla, então recomendo que leia - e refute, se puder - o seguinte livro: Não tenho fé suficiente para ser ateu, de Norman Geisler e Frank Turek (Ed. Vida), e as seguintes obras escritas por ex-ateus: Em defesa de Cristo, de Lee Strobel (Ed.Vida) e Um ateu garante: Deus existe, de Antony Flew (Ed. Ediouro).



R.R.Soares




Nenhum comentário:

Postar um comentário