Tradutor do Blog

domingo, 20 de janeiro de 2013

COMO DISCERNIR UM AMIGO DE VERDADE?



Por: Caio Fábio


Meu critério pessoal, hoje, de atribuir amizade a alguém, é muito simples: vejo quem se alegra com as minhas alegrias, e chora com minhas dores.

No entanto, quando se trata de estabelecer uma nova amizade, primeiro vejo se ela tem "espírito" para se alegrar com minhas alegrias; pois, somente depois disto, é que terei confiança de fazê-la parte das minhas tristezas.

Ora, isto se baseia no ensino espiritual do Evangelho, como também uma simples constatação de vida.

No espírito do Evangelho, Paulo ensina: "Alegrai-vos com os que se alegram; e chorai com os que choram". Assim, a gente só sabe quem chora genuinamente com a gente, se tal pessoa, tendo tido a oportunidade, já se alegrou sinceramente com nossa felicidade.

Na vida é a mesma coisa. Amigos que fazem cara de inveja ou mostra atitudes estranhas quando a gente está bem, não merece fazer parte de nossas tristezas.

Somente "amigos mesmo" é que podem entrar no santuário de nossas dores. Inverter está ordem é como convidar o diabo para presidir a Santa Ceia do coração.

Todavia, embora eu até houvesse até pregado e escrito sobre isto, sempre a partir da Palavra, foi quando a Palavra se tornou existência, dor, perda, angustia, medo, solidão e sentimento de desprezo, que vim a entender, com o coração, qual é a constituição do verdadeiro amigo, e o sentimento sentido do significado das palavras de Paulo.

Os que tiveram chance e se alegraram muito com minhas alegrias, foram os mesmos que efetivamente estavam presentes em minhas tristezas; e sempre solidariamente me falaram a verdade...

A esses eu chamo amigos, significando não um tratamento de palavras, mas um tratamento de vida, e carinho grato e comprometido.

***

( www.caiofabio.net )


Fonte: Genizah 



Nenhum comentário:

Postar um comentário