Tradutor do Blog

sábado, 5 de janeiro de 2013

AS ESCOLHAS DA VIDA


"Eis que ponho diante de vocês o caminho da vida e o caminho da morte"
(Jeremias: 21:8)


Imagine que todos carregamos embutida em nossa personalidade uma daquelas velhas pistolas de dois canos e dois gatilhos. Frente à variedade de experiências a que somos expostos no dia-dia, surge a oportunidade de acionar um ou quatro gatilhos...

Quando entramos em contato com as carências das pessoas que nos rodeiam, vivemos o desafio de puxar o gatilho da solidariedade, com suas implicações, ou a indiferença, para escaparmos à responsabilidade.

Cada vez que surge uma oportunidade de demonstrar quem somos por baixo da trabalhada aparência, optamos por detonar a humildade com coragem ou escapar disparando a arrogância.

Quando atingidos de modo incômodo por palavras ou atos de alguém, escolhemos acionar o perdão, para preservar a relação, ou engatilhar a vingança.

Quando a vida nos convoca a enfrentar desafios, podemos projetar a esperança ou deixar o desânimo. Quando sabemos da queda de alguém, decidimos pelo gatilho da misericórdia ou pelo da condenação.

Quando erramos, escolhemos promover a confissão em busca do perdão ou, movidos pelo orgulho, preferimos a simulação.

No curso da existência, nossas palavras e atos tendem a demonstrar o egoísmo ou a escolha consciente do amor.

A vida é o produto das muitas escolhas. Os gatilhos acionados com maior freqüência determinam a qualidade de uma existência. Esta é uma questão central, pois estão em jogo conseqüências definitivas: realização e alienação, benção ou maldição, vida ou morte

Que tal buscar acerto nas escolhas deste dia? [ou deste ano?].

***



("Devocionais Para Todas as Estações", Ed. Ultimato)




Fonte: O contorno da sombra


Nenhum comentário:

Postar um comentário