Tradutor do Blog

domingo, 30 de dezembro de 2012

SÉRIE: AS 10 PROFECIAS DO FIM DO MUNDO QUE FALHARAM (5)

Terminando a série: 'As Profecias do Fim do Mundo que Falharam' hoje vamos apresentar mais duas "profecias", Os testemunhas de Jeová que na 1ª Gerra Mundial "previram" o fim da era dos gentios e, a história do Incêndio Londrino de 1666, fazendo uma conexão entre a marca da besta (666) do Livro do Apocalipse com o ano decorrente 1666.

A matéria foi copiada na íntegra do blog: O contorno da sombra, que fez o post baseado em reportagem publicada na revista norte americana Times.

Abaixo segue os links dos quatro posts já publicado das referidas "profecias":






********************************************************************************************

TESTEMUNHAS DE JEOVÁ

A seita faz de tudo para que o mundo esqueça que seu fundador, Charles Taze Russell, havia previsto o "retorno invisível" de Jesus em 1874, que "prepararia" a sua Segunda Vinda em 1914.

O início da Primeira Guerra Mundial neste ano, fez com que Russell decretasse o "fim da era dos gentios", o que se confirmou, na verdade, como mais um previsão furada.

Ele morreria em 1918, deixando aos seus sucessores a difícil tarefa de explicar porque o fim não chegou no ano previsto.

A solução destes foi apontar 1914 como aquele retorno invisível de Jesus que fora previsto para 1874 (data que seria posteriormente varrida pra debaixo do tapete).

Afinal, a Primeira Gerra Mundial era um evento importante demais para não ser aproveitado como evidência, já que - bem ou mal - eles haviam previsto alguma coisa estranha para aquele ano.

Só que as previsões para o fim do mundo não parariam por aí. O segundo presidente da Sociedade Torre de Vigia, Joseph Franklin Rutherford, faria ainda uma previsão para 1925, quando os profetas do Antigo Testamento seriam ressuscitados.

Para acomodá-los (fisicamente falando), ele construiu a casa conhecida como Beth Sarim ("Casa dos Príncipes"), e - já que felizmente ninguém viu Isaías e Jeremias andando por aí - depois de 1925 a "hospedaria profética" sem uso acabou se tornando a própria residência, onde morreria em 1942.

Um novo fim do mundo seria ainda previsto para 1975. A Torre de Vigia alegava que a criação do homem completaria 6000 anos naquele ano específico. E como em uma semana cujos dias equivalem a 1000 anos (2ª Pedro 3:8), os próximos 1000 anos seriam uma espécie de "milênio sabático".

Mais uma vez a data passou em branco, e atualmente nenhum testemunha de Jeová conhece tal previsão.


***


O INCÊNDIO LONDRINO DE 1666

O número 666, como a maioria das pessoas desconfia tem um significado místico-cabalístico que transcende aquele registrado como a "marca da besta" no livro de Apocalipse (cap. 13, v.18).

As pessoas até suspeitam que o número 666 tem alguma, digamos, "maldição embutida", embora nem sempre saibam exatamente a sua origem.

Imagine agora como se sentiam os europeus às vésperas do ano 1666, sobretudo no ano 1665, quando uma praga varreu 100.00 pessoas de Londres, matando 1/5 da população local à época.

Se havia rumores de que o fim do mundo se aproximava, a praga só os reforçou, até que no dia 2 de setembro de 1666 um incêndio aparentemente inofensivo começou numa padaria da Pudding Lane e - rapidamente - se alastrou pela cidade, queimando 13.000 edifícios e dezenas de milhares de casas durante 3 dias do mais absoluto terror.

Apesar do pânico gerado (por motivos urgentes e reais, registra-se), quando o fogo baixou e as cinzas se assentaram, pouco menos de 10 pessoas morreram, e o fim do mundo foi adiado mais uma vez, exatamente como ocorreu no último dia 21 de dezembro de 2012.

Vamos ver qual é próximo fim do mundo na fila...urgente!


***


Fonte: O contorno da sombra


Nenhum comentário:

Postar um comentário